“Nada acontece em meu país sem consultar as mulheres. Nosso povo sábio, os mais velhos, eles são como bibliotecas. Nós os consultamos quando precisamos tomar grandes decisões. A cada cinco anos, no meu país, são as mulheres que fazem uma marcha pela paz. São as avós que vão para a floresta por um mês para preparar esta marcha da paz. Elas ceifam, rezam e invocam os ancestrais. Quando as avós falam, o presidente ouve. “

Bernadette Rebienot

Omyene Gabão, na África

Bernadette Rebienot nasceu em Libreville, Gabão. Quando era ainda muito jovem sua mãe morreu, então seu pai e avó a criaram. Aos 5 anos, Bernadette teve sua primeira visão, que logo se concretizou. Seu pai, porém, desencorajou Bernadette a compartilhar essas visões e ela passou a guardá-las para si mesma.

Quando Bernadette estava em idade escolar, ela foi mandada para viver num convento e aprender. Lá, Bernadette compartilhou suas visões com os amigos até que adoeceu gravemente. O lado direito de seu rosto ficou comprometido e ela estava com uma dor lancinante. A luz lhe fazia mal. Por três anos, ela viveu na escuridão.

Quando os médicos e os medicamentos modernos não curaram Bernadette, sua família a levou para um mestre Pigmeu da medicina tradicional. Este curandeiro reconheceu dons especiais em Bernadette e disse que sua doença era parte de sua iniciação como curadora. “A doença é uma coisa estranha. Habita em nós para nos incomodar e assim realizar as mudanças espirituais necessárias,” lembra Vovó Bernadete. Ela acredita que as comunidades tradicionais e científicas devem respeitar e aceitar umas as outras antes que a humanidade esteja pronta para começar um processo de cura.

Quando a avó Bernadette aceitou seu destino como uma mulher de medicina, o xamã pigmeu a convidou para um rito de iniciação. No Gabão, há uma planta com poderes curadores especiais chamada Iboga que é utilizada durante as cerimônias de iniciação.

Durante a sua primeira iniciação, avó Bernadette viu tudo o que ia acontecer com ela no futuro. Logo, sua saúde voltou. Com a ajuda de seu mestre professor, ela aos poucos começou a praticar seus dons. Hoje a avó Bernadette Rebienot é professora, terapeuta, Mestre do Ritual Bwiti Iboga e do ritual de Iniciação das Mulheres. As pessoas a chamam pelo nome que significa “espírito aguardado, esperado por muito tempo”. A avó Bernadette logo tornou-se conhecida em sua cidade. Ela é presidente da Associação dos Praticantes de Medicina Tradicional para a saúde do Gabão desde 1994.

Dirigindo-se ao Conselho de Avós pela primeira vez, a avó Bernadete disse que “parecia um sonho. Ela já tinha visto todas elas reunidas, treze avós de todo o mundo falando a uma só voz. O espírito da floresta do Gabão disse que não há separação entre as raças. Ninguém escolhe onde nasce. Só o destino. Temos ancestrais em comum porque a humanidade é a humanidade “.