“Nesses temos que vivemos, quando matar parece quase natural, estamos aqui nestes dias de oração para podermos iluminar a consciência desse planeta em agonia. Dentro dos nossos corações, eu acredito que cada uma de nós presente nesse encontro sente muita esperança. Esta é uma semente sendo plantada.”

 Clara Shinobu Iura

Mapia Amazônia, Brasil

A avó Clara Shinobu Iura nasceu e cresceu em São Paulo, Brasil. Ela é filha de imigrantes japoneses que seguiam costumes tradicionais que eram muito repressivos, especialmente em relação às mulheres. A avó Clara não se adequava, fazia perguntas e estava muito preocupada com as injustiças sociais. Na época, ela não acredita em verdades espirituais.

Quando a política brasileira mudou com o golpe militar, a família de Clara foi à bancarota, e a avó Clara foi finalmente autorizada a trabalhar. O trabalho lhe deu a liberdade para conduzir sua própria vida. Ela estudou filosofia e se juntou a outros que debatiam sobre o status quo. Ela começou a ter um estilo de vida radical. Em um ponto de sua vida, Clara morou em uma casa abandonada onde ela guardava suas roupas num saco e cozinhava suas refeições em latas. “Felizmente eu fui salva pela Providência Divina, quando eu fui magicamente colocada em contato com pessoas de diferentes religiões e ensinamentos espirituais”, disse a avó Clara.

Pessoas ligadas a Bhagwan Rajneesh abriram as portas de suas percepções. As coisas que ela acreditava como ficção, começaram a mostrar-se como verdadeiras. Vários tipos de espíritos vieram falar com ela. O mais notável foi um encontro com seres de um planeta a uma grande distância da Terra. Sua presença durou três meses.”Quando eles entraram em contato comigo, senti meu corpo alterar, e durante esses três meses eu quase não dormi ou comi. Eu não podia duvidar, porque a prova era grande.”

“Os seres tinham mensagens para os povos da Terra. Nos alertam a parar de destruir nosso planeta e para lembrar de nossa ligação espiritual”. Eles informaram que ela iria encontrar pessoas, como ela, que estavam em busca de consciência espiritual e de maneiras de salvar o planeta. Só muitos anos depois que Clara conheceu a religião do Santo Daime em Visconde de Mauá. “Essas eram as pessoas que eu estava procurando a mais de sete anos.”

 O Lider da comunidade do Santo Daime era Sebastião Mota de Melo. Logo após seu primeiro encontro, para grande surpresa de Clara, Sebastião exclamou: “Ah! Finalmente a pessoa que eles (os espíritos) disseram que iriam enviar para mim, chegou.” A partir daí, as portas se abriram e a avó Clara foi levada ao Céu do Mapiá na floresta amazônica. Também faz parte da comunidade do Santo Daime a avó Maria Alice Campos Freire. Sebastião viu excepcionais poderes de cura em ambas e as chamou para fazer o seu trabalho de cura juntos.

 Hoje, 18 anos depois, a avó Clara Shinobu Iura permanece na floresta amazônica, um dos maiores tesouros biológicos da Terra. Ela se sente testemunha da verdade pela escolha de seu caminho espiritual.