“O passado não é um fardo; é uma base que nos trouxe até o dia de hoje. Somos livres para sermos quem somos – a criar nossas próprias vidas deste passado e para o presente. Nós somos nossos ancestrais. Quando podemos nos curar, podemos também curar nossos ancestrais, nossas avós, nossos avôs e nossos filhos. Quando nos curamos, curamos a Mãe Terra.” 

Rita Pitka Blumenstein-Yupik – Alasca

  A avó Rita Pitka Blumenstein é uma anciã Yupik e a primeira mulher de cura de sua tribo no Alasca. Ela é artista, professora, palestrante e contadora de histórias. Como seu pai faleceu antes de ela nascer, ela foi criada pela mãe, avós e bisavós. Todas sábias anciãs do povo Yupik. “Eu cresci com minha avó, andei com minha avó, e aprendi com a minha avó,” disse ela sobre os poderosos ensinamentos de sua família.

“Minha mãe me ensinou que a barriga era o meu primeiro mundo, e tudo o que ela fez quando eu estava em sua barriga eu aprendi”, diz a avó Rita. “Estar no útero da mãe é como estar sob o gelo, dá pra ver a luz e ouvir um pouco, mas não claramente.” No momento de seu nascimento, as avós Yupik reconheceram os poderes curadores e espirituais de Rita.

Ela salientou que “a escola é importante, mas mais importante é aprender sobre si mesmo” . Desde pequenos, a juventude Yupik é ensinada que quando se pensa em alguma coisa, é preciso também sentir isso. E quando se sente uma coisa, é também preciso pensar nisso. “É essencial ter certeza do que você sabe, em vez de parecer saber”, acredita ela. “Quando há muito esforço para ser e parecer, muitas vezes não identificamos o que realmente queremos mesmo quando está logo a nossa frente.”

 A avó Rita teve um casamento feliz e pacífico com um homem judeu que durou 40 anos. Durante esses anos, eles tiveram seis filhos e cinco morreram. Hoje a sua filha viva Jokingly, chama-se a si mesma de Jeweskimo.

 Em 1995, a avó Rita descobriu que tinha câncer. O câncer a ajudou a perceber sua vida de raiva e tristeza por não ter um pai. Ela sabia que tinha de se curar em níveis mais profundos. “As emoções tornam-se físicas e o físico torna-se emocional”, diz ela. “Deus disse que só há abundância, e só a conquistamos através do perdão. Persistir em emoções negativas viram um câncer ou outra doença. Nossa cura não é apenas para nós mesmos. É para o universo.”

Hoje a avó Rita Blumenstein é médica da South Central Foundation. Ela usa a medicina e a energia das plantas para curar, juntamente com a sabedoria de suas próprias avós. A avó Rita também está ensinando sua neta adolescente a ser uma curadora e a seguir as tradições. Ela diz à neta que o universo inteiro é para uso de todos. “Nada está aqui para ser apropriado, apenas compartilhado.”